Modo de Fazer / Emmanuel

Modo de fazer
“De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que
houve também em Cristo Jesus.” – Paulo. (Filipenses,
2:5.)

Todos fazem alguma coisa na vida humana, mas raros não
voltam à carne para desfazer quanto fizeram.
Ainda mesmo a criatura ociosa, que passou o tempo entre a
inutilidade e a preguiça, é constrangida a tornar à luta, a fim de
desintegrar a rede de inércia que teceu ao redor de si mesma.
Somente constrói, sem necessidade de reparação ou corrigenda,
aquele que se inspira no padrão de Jesus para criar o bem.
Fazer algo em Cristo é fazer sempre o melhor para todos:
- sem expectativa de remuneração;
- sem exigências;
- sem mostrar-se;
- sem exibir superioridade;
- sem tributos de reconhecimento;
- sem perturbações.
Em todos os passos do Divino Mestre, vemo-lo na ação incessante,
em favor do indivíduo e da coletividade, sem prender-se.
Da carpintaria de Nazaré à cruz de Jerusalém, passa fazendo
o bem, sem outra paga além da alegria de estar executando a
Vontade do Pai.
Exalta o vintém da viúva e louva a fortuna de Zaqueu, com a
mesma serenidade.
Conversa amorosamente com algumas criancinhas e multiplica
o pão para milhares de pessoas, sem alterar-se.
Reergue Lázaro do sepulcro e caminha para o cárcere, com a
atenção centralizada nos Desígnios Celestes.
Não te esqueças de agir para a felicidade comum, na linha infinita
dos teus dias e das tuas horas. Todavia, para que a ilusão te
não imponha o fel do desencanto ou da soledade, ajuda a todos,
indistintamente, conservando, acima de tudo, a glória de ser útil,
“de modo que haja em nós o mesmo sentimento que vive em
Jesus-Cristo”.

Fonte Viva / Emmanuel / Francisco Cândido Xavier

Programa de Sustentabilidade Financeira



O Núcleo Espírita Chico Xavier iniciou no mês de agosto a implantação do Programa de Sustentabilidade Financeira.


O Programa consiste na adoção permanente de iniciativas para obtenção dos recursos financeiros compatíveis com as futuras despesas de instalação em nova sede, como aluguel, taxas, etc.
Venha conhecer nossa proposta e colabore para a concretização desse ideal.

“É de lastimar, sem dúvida, que tenhamos de entrar em considerações de ordem material, para alcançarmos um objetivo todo espiritual. Para alguém fazer qualquer coisa de sério, tem que se submeter às necessidades impostas pelos costumes da época em que vive e essas necessidades são muito diversas das dos tempos da vida patriarcal. O próprio interesse do Espiritismo exige, pois, que se apreciem os meios de ação, para não ser forçoso parar no meio do caminho. Apreciemo-los, portanto, uma vez que estamos num século em que é preciso calcular tudo.” Allan Kardec, Obras Póstumas, Constituição do Espiritismo – vias e meios.